quinta-feira, 7 de abril de 2016

O melhor antídoto para o desgaste europeu



O melhor antídoto para o desgaste europeu

O desgaste físico dos jogos europeus é uma questão que, com frequência, tem efeitos negativos nas competições nacionais. Daí que a nomeação de João Capela para o Académica - Benfica possa ser vista como uma espécie de mezinha que poderá compensar o tal desgaste, em caso de necessidade.

Por uma questão de curiosidade, eis os árbitros nomeados para os jogos do Benfica que se disputaram após as jornadas europeias:

Árbitro nomeado para a partida seguinte à 1ª mão dos 1/4 de final: João Capela (@ Académica)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 2ª mão dos 1/8 de final: Luís Ferreira (vs. Tondela)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 1ª mão dos 1/8 de final: Jorge Ferreira (@ P. Ferreira)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 6ª jornada da fase de grupos: Manuel Mota (@ V. Setúbal)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 5ª jornada da fase de grupos: Hugo Miguel (@ Braga)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 4ª jornada da fase de grupos: Bruno Esteves (vs. Boavista)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 3ª jornada da fase de grupos: Carlos Xistra (vs. Sporting)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 2ª jornada da fase de grupos: João Pinheiro (@ Vianense)
Árbitro nomeado para a partida seguinte à 1ª jornada da fase de grupos: Artur Soares Dias (@ Porto)


Olhando para estes desafios, podemos dividi-los em três categorias diferentes, em função do tipo de nomeação feita.


Na primeira está o jogo com o Vianense, para a Taça de Portugal, para o qual não era expectável qualquer tipo de dificuldade, visto de ser uma equipa do CNS.

Na segunda categoria podemos agrupar os jogos com Porto, Sporting e Braga, que exigem um árbitro com mais créditos (infelizmente, é preciso que se diga que não é sinónimo de qualidade). Falamos também de clubes que também disputaram competições europeias nessa mesma semana (Sporting e Braga até tiveram menos dias de recuperação).

Por último, os jogos com Boavista, Setúbal, P. Ferreira, Tondela e Académica, em que há uma total liberdade para escolher o árbitro. E nestas situações, não havendo restrições, Vítor Pereira nunca facilitou. Bruno Esteves, Manuel Mota, Jorge Ferreira, Luís Ferreira e João Capela são uma espécie de carta Você está livre da prisão para o Benfica, uma apólice de seguro que é acionada nos momentos de maior aflição. Olhemos para o histórico destes árbitros nos jogos do Benfica.

Bruno Esteves

Benfica 2 - 0 Boavista (Liga)
Benfica 4 - 0 Arouca (Taça da Liga)
Benfica 1 - 0 Gil Vicente (Taça da Liga)
V. Guimarães 0 - 1 Benfica (Liga)
Benfica 1 - 1 P. Ferreira (Taça de Portugal) *2ª mão das meias-finais, o Benfica tinha vencido a 1ª mão por 2 - 0
Braga 1 - 2 Benfica (Liga)
Rio Ave 0 - 1 Benfica (Liga)
Benfica 3 - 0 Nacional (Liga)
P. Ferreira 1 - 2 Benfica (Liga)
Benfica 5 - 1 Rio Ave (Liga)
Benfica 4 - 1 P. Ferreira (Liga)
Benfica 2 - 0 P. Ferreira (Liga)

TOTAL:
12 jogos
11 vitórias
1 empate *que chegou para o apuramento
0 derrotas
28 golos marcados
5 golos sofridos

Jorge Ferreira

P. Ferreira 1 - 3 Benfica (Liga)
Benfica 3 - 2 Moreirense (Liga)
Moreirense 1 - 3 Benfica (Liga)
Académica 0 - 2 Benfica (Liga)
Belenenses 0 - 1 Benfica (Liga)
Benfica 2 - 0 Nacional (Liga)

TOTAL
6 jogos
6 vitórias
0 empates
0 derrotas
14 golos marcados
4 golos sofridos

Luís Ferreira

Benfica 4 - 1 Tondela (Liga)
Benfica 3 - 0 Académica (Liga)
Benfica 5 - 1 Académica (Liga)
Benfica 3 - 1 Moreirense (Liga)

TOTAL
4 jogos
4 vitórias
0 empates
0 derrotas
15 golos marcados
3 golos sofridos

Manuel Mota

Benfica 3 - 1 Arouca (Liga)
V. Setúbal 2 - 4 Benfica (Liga)
Benfica 1 - 0 Rio Ave (Liga)
Nacional 2 - 4 Benfica (Liga)
Estoril 1 - 2 Benfica (Liga)
Marítimo 1 - 2 Benfica (Liga)
Beira-Mar 0 - 1 Benfica (Liga)
Benfica 3 - 2 Académica (Taça da Liga)
Freamunde 0 - 4 Benfica (Taça de Portugal)
Benfica 3 - 1 Beira-Mar (Liga)

TOTAL
10 jogos
10 vitórias
0 empates
0 derrotas
27 golos marcados
10 golos sofridos

E falta, claro, João Capela:

Histórico de jogos do Benfica arbitrados por João Capela:

2015/16
Benfica 1 - 0 Nacional (Taça da Liga)

2014/15
Gil Vicente 0 - 5 Benfica (Liga)
Benfica 6 - 0 Estoril (Liga)
Benfica 1 - 0 Gil Vicente (Liga)
V. Setúbal 0 - 5 Benfica (Liga)

2013/14
Penafiel 0 - 1 Benfica (Taça de Portugal)

2012/13
Benfica 2 - 0 Sporting (Liga)
Benfica 3 - 0 P. Ferreira (Liga)
Moreirense 0 - 2 Benfica (Liga)

2011/12
Olhanense 0 - 0 Benfica (Liga)
Benfica 1 - 0 Sporting (Liga)

2010/11
Marítimo 0 - 1 Benfica (Liga)

2009/10
Benfica 5 - 0 Leixões (Liga)

2008/09
Benfica 1 - 0 E. Amadora (Liga)

Com João Capela a arbitrar, o Benfica tem:

13 vitórias
1 empate
0 derrotas
34 golos marcados
0 golos sofridos

Este score de João Capela até podia não significar nada de mal, mas é conhecida a tendência para o erro que o árbitro tem quando o Benfica está em campo. Não é possível esquecer, por exemplo, o golo mal validado que deu a vitória na época passada contra o Gil Vicente na Luz, o golo mal anulado ao Setúbal que daria o golo do empate, ou o que se passou num dos maiores assaltos à mão armada na história do futebol português, naquele dérbi em que perdoou 3 penáltis contra o Benfica e uma expulsão a Matic.

Bem escolhido por Vítor Pereira, não fossem os rapazes aparecer cansados no sábado.

Todos estes árbitros têm um historial negro em jogos do FC Porto. No entanto, com o Benfica, raramente há "acidentes". Ou melhor, acidentes existem, mas são daqueles que não precisam de aspas e em que a vítima raramente equipa de vermelho. Estes cinco árbitros, em conjunto, têm o seguinte palmarés em jogos do Benfica:

46 jogos
44 vitórias
2 empates (* 1 dos quais era suficiente para o apuramento para a final da Taça de Portugal)
0 derrotas
118 golos marcados
22 golos sofridos

Fantástico.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Que rumo seguir?

Bom dia amigos:
É triste ver ao ponto a que chegou este nosso FCPorto, senão vejamos.
Estamos na 3ª época em que ainda não vencemos nada, estamos na 2ª época seguida com o mesmo treinador, Julen Lopetegui, que ainda nada venceu, ou melhor que tudo perdeu, e pior ainda é que continuamos a jogar um futebol nojento, de posse de bola falsa, pois só é feita na defesa, com passes para o lado e para trás e ele insiste em manter, mesmo sabendo que em nada beneficia a nossa equipa, pois não atacamos e só beneficia os adversários que se vêem livres do nosso ataque.
Outra coisa incompreensível é como é que o treinador não consegue escalar o melhor 11 em todos os jogos, chegando ao cumulo de fazer invenções sucessivas em jogos cruciais, fê-lo na época passada em Munique, fê-lo esta epoca com o D. Kiev e pior ainda contra o PIOR Chelsea no pós- Mourinho (1ª passagem), em que sabia que SÓ a vitória interessava e entrou em campo com 5 defesas, e sem ponta de lança...
Mais uma das coisas que não consigo perceber, é aquele tipo de adeptos, que se acham mais portistas que os outros só porque batem palmas a tudo o que se está a passar, ser um verdadeiro portista não é isso.
Ser portista de verdade é apoiar o clube quando ele precisa, mas também é saber criticar a equipa e o que vai/está mal, para que seja corrigido.
Em tempos, houve um blogue que fez vários artigos sobre os lampiões, em que os apelidou de "adeptos manada" simplesmente porque aceitavam tudo o que se estava a passar com a equipa sem a criticar, pareciam uns carneirinhos portanto e hoje em dia há por aí um aduzia de indivíduos que querem fazer o mesmo dos adeptos portistas e eu, desde já me recuso a fazer parte desse tipo de adepto, por motivos vários.
Um dos obreiros desse tipo de mensagens, em que se tentam fazer lavagens cerebrais, criticando os adeptos que, e muito bem, criticam o que se está a passar, é aquele individuo a quem colocaram um microfone nas mão no estádio do Dragão e que por gritar "Porto, Porto, Porto", acha que tem o direito de tratar todos os outros que têm opinião diferente da sua da maneira que quer, e achando-se mais portista que os outros, mas que também está enganado, ele se quer ser um portista como os outros, devia pagar para o FC Porto e não receber do FC Porto e dessa forma já saberia o que custa ver o FC Porto neste estado, ele e todos aqueles que aceitam e batem palmas ao estado da nossa equipa.
Caros amigos, a verdade é só uma, o nosso clube está mal, algo tem que ser feito para que possamos voltar às conquistas, que já nem em lembro o que é isso, mas para que isso aconteça, é preciso localizar os problemas e resolve-los e está mais que visto que o maior problema é o treinador, que não tem estofo para treinar a nossa equipa.
Para constatar que isso é verdade basta ver umas coisas, os jogadores entram em campo cansados, porque ele nos treinos rebenta com os jogadores, (o André André fez uma época fantástica no V. Guimarães, sempre em alta rotação, ainda nem a meio do campeonato estamos e já acusou fadiga muscular), motivo pelo qual ele gosta tanto da rotatividade que ninguém percebe nem entende, só ele, todos os treinadores no mundo tentar arranjar o melhor 11 e jogar com ele sempre que possível, só este é que acha o contrario, consegue colocar um jogador a jogar 3/4 jogos seguidos a titular e depois "arrumar" com ele directamente para a bancada e colocar um directamente da bancada a titular, enfim, ninguém consegue perceber isto só ele e os seguidistas.
Um jogador consegue fazer 3/4 jogos seguidos, começar a subir de forma e ele consegue quebra-lo física e moralmente colocando-o no banco ou na bancada logo de seguida, incompreensível.
Para mim só há um rumo a seguir enquanto temos tempo de poder vir a ganhar títulos, despedir o Sr. Julen Lopetegui que de treinador tem pouco, e porque acima de tudo já se viu que não tem categoria para conduzir o nosso Ferrari. Criticou-se tanto o Vitor Pereira, que foi campeão duas épocas seguidas, vendo o seu plantel ser desfalcado dos melhores jogadores, criticou-se tanto Paulo Fonseca, a quem deram Licás e Ghilas, etc e a este que gastou FORTUNAS, teve quem pediu e não ganha nada não se critica e pede a demissão?
Será que os adeptos do FC Porto estão a deixar de ser exigentes e começam a acomodar-se ao não vencer nada?
Os erros que se cometem têm que ser corrigidos, e Lopetegui foi sem duvidas um erro que deve ser resolvido.
Quero o meu FC Porto de volta...
Cumprimentos

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Dinamo de Kiev 2- FCPorto 2

Ganhar um jogo de futebol aos 92´ gera  tanta emoção(positiva) quanto aquela que se sente, negativamente, perdendo, ou empatando, aos 88` como acabou por acontecer ontem à noite em Kiev.
Com o xadrez táctico desenhado no estádio olímpico ucraniano, percebeu-se de forma clara que o FCP apostou muito no controlo do jogo colocando três médios mais defensivos deixando para André André a missão de ligar o jogo no plano ofensivo. Se, para garantir a conquista de, pelo menos, um ponto que neste tipo de competição, obtido fora, não sendo oiro, também não deixa de ser, matematicamente, um pecúlio a desprezar, a estratégia de Lopetegui até que nem estava mal imaginada supondo-se que esperaria pelo erro ucraniano que proporcionasse um golo tranquilizador.
Ora,  a primeira parte,  mostrou-nos uma realidade algo diferente do que a que tinha sido imaginada sendo que o FCP tarde(muito tarde)  se apercebeu que controlando com posse de bola em linhas mais recuadas e com pressão mais curta dificilmente obteria dividendos. O Dínamo, sabia, e via isso e, por isso,colocou todos os sectores atrás da linha da bola apostando num ou outro ataque rápido que provocasse o erro como viria a acontecer no lance de que resultou o 1º golo ucraniano
Resumindo: da parte inicial sobrou, um  jogo fraco de que se salvaram os dois golos/erros e a lição extraída.

O FCP tinha de mudar.

E mudou e bastante e para melhor.

Apos o intervalo o FCP apareceu predisposto a inverter o rumo conseguindo impor a sua mais valia. Com jogo mais aberto pelas alas, pressão mais a frente e um ritmo mais elevado o FCP empurrou o Dínamo para o seu ultimo reduto.O golo que daria a vitoria aos dragões era o resultado da sua superioridade sempre patente ao longo da 2ª parte até ao momento em que se começou a sentir um Danilo a perder ritmo, por exaustão e, por isso, merecedor de substituição por alguém(Imbulá) que desse maior consistência ao meio campo.
Pena, foi o duplo erro do golo do empate ucraniano. Primeiro, erro nosso que permitimos o falhanço defensivo. Depois a validação do mesmo que logo na primeira leitura me pareceu ilegal e agora subscrito pela própria UEFA-

José Xavier


.

.